James Ensor

«Quando terríveis acontecimentos assolavam as cidades, os presságios devoravam os sudários dos mortos e lançavam gritos agudos como os porcos quando comem»*. James Ensor(1860-1949), Máscaras enfrentando a Morte, 1888 *Christian Friedrich Germann (1640-1708), De Miraculis Mortuorum, Leipzig, Kirchner, 1670.

Sem aprioris

«Toda a vontade do pintor deve ser o silêncio. Ele deve fazer calar todas as vozes dos preconceitos, esquecer, esquecer, fazer silêncio. Então, sobre a sua tela sensível, toda a paisagem se inserirá». Cézanne Retocar o real com o real «Les couleurs, écoutez un peu, sont la chair éclatante des idées de Dieu. La transparence […]

Boa Páscoa

Quando o coelho da Páscoa era uma lebre O uso de ovos, em rituais de renascimento das estações, é conhecido desde os tempos mais antigos; mais curiosa é a forma como aparecem misturados com coelhinhos na tradição das ofertas pascais. Os coelhos sempre foram pouco católicos, dada aquela mania luxuriosa de passarem o tempo. Por […]

Nevermore

Lou Reed, The Raven Litografia de Odilon de Redon (1840-1916)inspiradas em Allan Poe O Simbolismo «Inimiga do ensino, da declamação, da falsa sensibilidade, da descrição objectiva, a poesia simbolista pretende agarrar a Ideia de uma forma sensorial, a qual, contudo, não é fim em si mesma, mas enquanto servir para exprimir uma ideia, será o […]