A geometria não-euclidiana de Henry Poincaré (o Monstro das matemáticas) e as brincadeiras patafísicas de Marcel Duchamp

Photograph of Marcel Duchamp and Eve Babitz at the Pasadena Retrospective in 1963-Courtesy of Mme. Jacqueline Matisse Monnier. Photo © 1963 Julian Wasser “Most striking at first is this appearance of sudden illumination, a manifest sign of long, unconscious prior work. The role of this unconscious work in mathematical invention appears to me incontestable.” “We […]

botas de mão em mão

“a obra de arte emerge da fractura entre a Terra e o mundo, entre a ausência de sentido na materialidade do corpo e da natureza, para receber sentido na história e no social” Heidegger Van Gogh, shoes, 1886 «When van Gogh depicted the peasant’s wooden sabots, he gave them a clear, unworn shape and surface […]

A loucura engaiolada

Em emblemas Para tudo o que não está escrito, é necessário que a imaginação abra as portas à luz O burro do céptico Timão guia o louco que avança, de compasso e espelho do mundo, entre uma máscara vesga e outra sem olhos. A cabeça engaiolada, o oroboros da circularidade da demanda; o reflexo da […]

Quando Cristóvão Colombo chegou à América de Cadillac

    «Estou certo do que todas estas coisas contadas serão ainda serão mais maravilhosas que para as quem viu”» Cristóvão Colombo Estava um belo dia solarengo naquele paraíso terreno. As moçoilas nativas vieram-no receber alegres e sem malícia nas suas nudezas. Consta que Colombo não se perturbou com a chuva que se fazia sentir […]

Ordenar o caos

Violência e sacrifício Man is the animal whose nature has not yet been fixed Friedrich Nietzsche, Beyond Good and Evil, 1886. «I would like my pictures to look as if a human being had passed between them, like a snail, leaving a trail of human presence and memory trace of past events, as the snail […]

Gustave Courbet

(10 de Junho de 1819, Ornans – 31 de Dezembro de 1877, La-Tour-de-Peilz) Manifeste du réalisme Les vrais artistes sont ceux qui prennent l’époque juste au point où elle a été amenée par les temps antérieurs. Rétrograder, c’est ne rien faire, c’est agir en pure perte, c’est n’avoir ni compris ni mis à profit l’enseignement […]

Sem aprioris

«Toda a vontade do pintor deve ser o silêncio. Ele deve fazer calar todas as vozes dos preconceitos, esquecer, esquecer, fazer silêncio. Então, sobre a sua tela sensível, toda a paisagem se inserirá». Cézanne Retocar o real com o real «Les couleurs, écoutez un peu, sont la chair éclatante des idées de Dieu. La transparence […]

James Ensor

«Quando terríveis acontecimentos assolavam as cidades, os presságios devoravam os sudários dos mortos e lançavam gritos agudos como os porcos quando comem»*. James Ensor(1860-1949), Máscaras enfrentando a Morte, 1888 *Christian Friedrich Germann (1640-1708), De Miraculis Mortuorum, Leipzig, Kirchner, 1670.

Nevermore

Lou Reed, The Raven Litografia de Odilon de Redon (1840-1916)inspiradas em Allan Poe O Simbolismo «Inimiga do ensino, da declamação, da falsa sensibilidade, da descrição objectiva, a poesia simbolista pretende agarrar a Ideia de uma forma sensorial, a qual, contudo, não é fim em si mesma, mas enquanto servir para exprimir uma ideia, será o […]

Caprichos

{Ut pictura poesis} «Persuadido el autor de que la censura de los errores y vicios humanos (aunque parece peculiar de la eloquencia y la poesia) puede tambien ser objeto de la pintura. ..» Anúncio dos Caprichos de Goya no Diário de Madrid de 6 de Fevereiro de 1799. Capricho– do italiano- capriccio– feito da própria […]