Sem aprioris

«Toda a vontade do pintor deve ser o silêncio. Ele deve fazer calar todas as vozes dos preconceitos, esquecer, esquecer, fazer silêncio. Então, sobre a sua tela sensível, toda a paisagem se inserirá». Cézanne Retocar o real com o real «Les couleurs, écoutez un peu, sont la chair éclatante des idées de Dieu. La transparence […]

James Ensor

«Quando terríveis acontecimentos assolavam as cidades, os presságios devoravam os sudários dos mortos e lançavam gritos agudos como os porcos quando comem»*. James Ensor(1860-1949), Máscaras enfrentando a Morte, 1888 *Christian Friedrich Germann (1640-1708), De Miraculis Mortuorum, Leipzig, Kirchner, 1670.

Nevermore

Lou Reed, The Raven Litografia de Odilon de Redon (1840-1916)inspiradas em Allan Poe O Simbolismo «Inimiga do ensino, da declamação, da falsa sensibilidade, da descrição objectiva, a poesia simbolista pretende agarrar a Ideia de uma forma sensorial, a qual, contudo, não é fim em si mesma, mas enquanto servir para exprimir uma ideia, será o […]

Caprichos

{Ut pictura poesis} «Persuadido el autor de que la censura de los errores y vicios humanos (aunque parece peculiar de la eloquencia y la poesia) puede tambien ser objeto de la pintura. ..» Anúncio dos Caprichos de Goya no Diário de Madrid de 6 de Fevereiro de 1799. Capricho– do italiano- capriccio– feito da própria […]

Boa Páscoa

Quando o coelho da Páscoa era uma lebre O uso de ovos, em rituais de renascimento das estações, é conhecido desde os tempos mais antigos; mais curiosa é a forma como aparecem misturados com coelhinhos na tradição das ofertas pascais. Os coelhos sempre foram pouco católicos, dada aquela mania luxuriosa de passarem o tempo. Por […]

Neo-Classicismo/ Romantismo

Neoclássico Antonio Canova, Paolina Borghese, 1805-1808, Roma, Galeria Borghese Busca de Belo Ideal «Todas as invenções de povos estrangeiros vieram para a Grécia, apenas como a primeira semente, e assumiram uma outra natureza e configuração na terra que Minerva, diz-se, reservou aos gregos para morada, de preferência a todas as terras, em função das estações […]

Esqueletos no armário

A propósito ou não, também me apetece contar a história dos esqueletos no armário que deve ser da autoria do Hogarth. A descoberta deve-se a Judy Egerton que escreveu um textinho bem engraçado que passo a resumir. Como se sabe, o Hogarth era danado para apanhar os tiques dos novos-ricos afrancesados e ainda mais para […]

Sátiras e desventuras do Hogarth

O mundo das tricas pessoais sempre serviu para divertidas sátiras literárias e artísticas. No caso de William Hogarth (1697-1764), torna-se uma verdadeira charada destrinçá-las no meio das suas troças à sociedade. Os métodos eram variados, tanto podia ficar-se pela simples caricatura ao visado, incluído em qualquer série de desventuras dos personagens, ou mesmo em retrato […]